I Conferência Municipal do Saneamento Básico

I Conferência Municipal do Saneamento Básico

A prefeitura municipal de Santo Amaro da Imperatriz, por meio da secretaria do Desenvolvimento Econômico e Meio Ambiente, em parceria com a Fundação Nacional de Saúde (FUNASA), com supervisão técnica da Universidade do Extremo Sul de Santa Catarina (UNESC) e CASAN, apresentaram por meio da I Conferência Municipal do Saneamento Básico, todo o estudo à cerca do detalhamento do que será nosso Plano Municipal do Saneamento Básico.
O plano deveria estar em vigor desde 2014, porém entraves burocráticos atrasaram o processo e que a prefeitura conseguiu viabilizar com o Convênio Técnico entre FUNASA E UNESC.
Todo o sistema de captação de água, seu volume e capacidade, população atendida, rede pública, etc, foram esmiuçados e apontados os pontos críticos, pontos fortes e as melhorias a serem desenvolvidas, com toda metodologia necessária.
Quando falamos em distribuição de água potável por rede pública, também está diretamente relacionada a questão do esgotamento sanitário, também estudado a fundo, principalmente às áreas que necessitam imediatamente e/ou no curto prazo, estarem ligadas às redes e sistemas de tratamento de esgoto.
A drenagem do solo também foi tema do processo de trabalho, principalmente em um município com uma capilaridade imensa em termos de rios e riachos, córregos e valas, bem como com um relevo misto entre grandes platôs e planícies e áreas de montanhas íngremes.
Finalizando, a questão do resíduo sólido (lixo), tanto orgânico quanto químico e sólido, sua coleta e descarte nas estações de transbordos e a questão do aproveitamento através de coleta seletiva, gerando diminuição nos custos do processo ao poder público, bem como podendo ser uma ferramenta importante para a geração de emprego, oportunidades e renda.
O Plano Municipal do Saneamento Básico tratou em sua metodologia das ações imediatas, curto, médio e longo prazo e tratou de forma diferenciada a área rural e urbana e suas características peculiares. O plano tem vida útil para quarto anos, quando deverá novamente ser revisado.
Desta forma, Santo Amaro da Imperatriz está preparada e habilitada para firmar convênios, financiamentos, programas, parcerias, enfim, ter um Norte para suas questões relacionadas ao saneamento básico. E um ponto importantíssimo: saneamento básico reflete diretamente em uma Saúde mais otimizada à população, diminuindo várias doenças, como infecções de pele e do sistema digestivo, febres, incidência de mosquitos e demais insetos, etc.
O Plano Municipal do Saneamento Básico foi entregue à FUNASA que o homologará ou fará algumas sugestões, mas acreditamos que não, uma vez que Santo Amaro da Imperatriz é a décima quarta cidade contemplada pela parceria técnica entre FUNASA e UNESC. Após, o município recebe de fato e encaminha para a Câmara de Vereadores votar e aprovar.